Curta Irradiando Luz no Facebook  Siga Irradiando Luz no Twitter  Acesse o canal do Irradiando Luz no YouTube  Assine o Feed RSS do Irradiando Luz

Vacina da rubéola, verdade ou mito

Vacina da Rubeula

Qual a real eficácia das campanhas de vacinação? Escute algumas teorias da conspiração sobre a vacina da rubéola e o método de vacinação de uma forma geral.

Nota do editor

Esse texto foi escrito em agosto de 2008. Eu lamento muito algumas das opiniões que foram expressadas aqui no passado. Hoje, em 2018, corroboro muito dos comentários de Pedro F., que na ocasião da publicação do artigo, me alertou para o ruído que eu estava produzindo e o lixo que eu estava irradiando. Vou assinalar no texto todas as vezes em que eu discordar da editoria do meu eu passado.

Desde que começou essa história de vacinação da Rubéola eu fiquei com um pé atrás… Primeiro, cartazes, propagandas, agentes de saúde distribuindo folhetos… Depois, estavam vacinando dentro do prédio do Centro Sócio-Econômico, na UFSC. Vieram avisar nas salas de aula, os alunos fazendo fila pra se vacinarem. A mesma coisa no Sapiens Parque, onde trabalho. Um vizinho meu disse que estava indo comprar pão, quando foi abordado por duas agentes de saúde que praticamente o obrigaram a se vacinar no postinho de saúde em frente à padaria.

Nota do editor

Eu era um cético de araque, que questionava as informações oficiais mas engolia sem ressalvas baboseiras e fofocas, ainda cometendo a falácia de achar que casos pessoais são mais válidos do que estatísticas populacionais. Desculpe a ignorância.

Estou encontrando algumas opiniões contra as vacinas, mas estas carecem de dados confiáveis, quase tanto quanto o outro lado (pró-vacina). Infelizmente, é uma questão partidária, em que os lados não se conversam e não se entendem. Fica difícil julgar em quem confiar, afinal são todos humanos defendendo interesses diversos, nem sempre declarados.

O site ****** ****** tem muitas informações interessantes com relação a este tópico, mas eles são totalmente contra as vacinas.

Nota do editor

Esse site (deveria ter dito BLOG) ****** ****** é um lixo sem tamanho, e eu removi o link para não dar espaço pra maluco sem credibilidade alguma. Peço perdão pelo vacilo.

Ainda estou esperando encontrar um fórum de debates em que os dois lados da moeda (pró e contra vacina) dialoguem racionalmente.

Nota do editor

Hoje eu penso que não existe lado racional em ser completamente contra vacinação, especialmente olhando do ponto de vista da saúde pública. Não se vacinar é um ato egoísta que prejudica toda a população. Quem tem o privilégio de escolher não se vacinar está colocando em risco toda uma população que não pode fazer isso, como recém nascidos e idosos, ao possibilitar que as doenças consigam se propagar por meio de hospedeiros não vacinados. Hoje eu defendo: vacinar-se é um dos atos mais altruístas que podemos ter.

Com relação à esta campanha da rubéola, não vou tomar a vacina, mas isso foi uma decisão que tomei buscando ser o mais imparcial possível frente a estas questões.
Com relação às vacinas recomendadas à crianças, acredito que algumas vacinas são importantes sim, como a anti-tetânica, coqueluxe, etc… mas é uma questão muito complexa, que envolve variáveis como:
-gravidade da doença
-ocorrências e surtos da mesma
-efeitos colaterais da vacina
-efetividade da vacina
-duração da vacina, entre outras variáveis.

 

Um abraço
Gabriel Dread

Nota do editor

Será que existe uma palavra em alemão para expressar o sentimento de vergonha alheia profunda do seu eu passado chega ao ponto de querer dar tapa na sua própria cara jovem?

Direto do FAQ do site oficial da campanha “Brasil Livre da Rubéola”

15.Onde se vacinarão as pessoas?
Nos serviços público de saúde e através de equipes volantes de vacinação que irão aos locais de trabalho, colégios, universidades, empresas, fábricas, supermercados, centros comerciais, igrejas, rodoviárias, terminais de ônibus e trens, parques e centros recreativos, entre outros. Numa segunda etapa se fará o monitoramento da cobertura vacinal com visita casa a casa nas áreas definidas pela equipe local para garantir que 100% da população seja vacinada.

Cuidado!! Eles vão te perseguir até na sua própria casa!!

16. Por que toda a população alvo deverá ser vacinada independentemente do estado vacinal anterior e/ou antecedente de ter tido a doença? Quem tomou a vacina há pouco tempo deve se vacinar na campanha?
O caráter da campanha de vacinação é de realizar a eliminação da circulação do vírus da rubéola no País, assim a mesma deverá ser realizada de forma indiscriminada para a população alvo. Existem muitas doenças com manifestações idênticas à rubéola, pelo qual o antecedente de enfermidade exantemática não indica que a pessoa teve rubéola. A vacina é muito segura e a pessoa vacinada sempre terá um benefício: se não estiver protegida ficará imunizada e se já está protegida, reforçará seu nível de imunidade, tanto para rubéola como para sarampo.

21. Qual é a segurança e a eficácia da vacina?
A vacina RA 27/3 é muito segura e com uma eficácia maior que 95% em média. A resposta máxima de anticorpos se observa entre os 14 e 21 dias depois da vacinação e existem estudos que indicam que a imunidade se mantém por toda a vida. É uma vacina pré-certificada por organismos internacionais que cumpre todos os controles de qualidade e regulações nacionais.

E aí eu pergunto: será que ela é tão eficaz assim? Qual o sentido de vacinar de novo? Além, é claro, de dar um lucro absurdo pras farmacêuticas produtoras da vacina em questão?

Vacina da Rubéola e Gravidez

Atendendo a pedidos, aí vai a resposta para a pergunta:
“Estava grávida e não sabia, tomei a vacina. E agora?”

Gestantes não devem ser vacinadas
Esclareça as gestantes de sua microárea sobre essa restrição.
As mulheres que engravidarem até 30 dias depois de tomarem a vacina, e também aquelas receberam a vacina sem saber que estavam grávidas devem ser acompanhadas com toda a atenção.
Se você identificou alguma mulher nessa situação, fale imediatamente com seu instrutor-supervisor ou com a equipe de saúde a qual você está vinculado, para receber orientação sobre o que fazer.”
Fonte: Campanha Nacional de Vacinação Contra a rubéola

Por que não se recomenda vacinar as mulheres grávidas durante a campanha contra a rubéola?
Embora já esteja demonstrado que a vacina não tem efeitos teratogênicos no feto, durante uma gestação podem apresentar – se diversos eventos (abortos, natimortos, etc.) que são apenas coincidentes com a vacinação. Por isso é importante fazer o acompanhamento de cada gestante vacinada inadvertidamente para evitar que seja atribuída à vacina qualquer evento que aconteça com esta gestante. ”
Fonte: Um Metrossexual: a revista online do homem moderno na postagem “Vacina contra rubéola durante a gravidez, gestação” (Sic!)

Resumindo: procure um médico! (Eu não sou médico!)

Nota do editor

A partir desse ponto, o post original reproduzia uma serie de posts de blogs sem credibilidade nenhuma, que propagavam boatos e plantavam desenfirmação. Eles foram removidos para reduzir o ruído e o lixo na internet. Peço desculpas mais uma vez.

12 respostas para “Vacina da rubéola, verdade ou mito”

  1. Pedro F. disse:

    Cara

    Colar texto de um blog anônimo só depois de ir atrás da informação. Espero que você tenha feito isso.

    Ou vai ser mais um blogueiro que fica colando textos e prolifera ainda mais a cacofonia em que vivemos.

    Esse “****** ******” me pareceu um panfleto fraco, para escrever o seguinte só sendo muito sábio ou completo idiota:

    “Não existe nenhuma prova CIENTÍFICA de que vacinas protejam contra coisa alguma”

    Verifique suas fontes e diminua o ruído.

  2. Gabriel Dread disse:

    Pedro!

    To fazendo uma atualização dessa postagem, releia e me responda a seguinte pergunta:
    -Você não acha estranha essa campanha de vacinação da rubéola?

    O site do ****** ****** foi feito com base nas discussões que ocorrem em um e-grupo aberto onde se discute a questão das vacinas. Eu participo do e-grupo e, apesar de serem da religião contra vacinação, possuem alguns dados que corroboram as opiniões.
    Dê uma checada lá no blog que tem transcrições de um livro de ****** ******, membro da ****** ****** (um detalhe estranho: o site deles foi retirado do ar!).
    Leia a postagem completa:
    ****** ******

    Um abração
    Gabriel Dread
    Ps: isso não é ruído, estou propagando opiniões que não são aceitas pela mídia ou pelos governos (e seus financiadores, as indústrias farmacêuticas)… acredito que mais pessoas precisam saber disso…

  3. Pedro disse:

    Eu achei ridícula aquela frase que eu mostrei anteriormente. Qualquer pessoa ou grupo que escreve uma coisa dessas deve ser imediatamente ignorado. Você está propagando LIXO meu irmão. Irradiando trevas, em outros termos.

    Ciência é coisa séria e deve ser criticada corretamente. Estatística é um critério de validação tão válido quanto o laboratório. Você está dando voz a pessoas que não merecem.

  4. Gabriel Dread disse:

    Cara, como eu falei na postagem, é uma questão ideológica, religiosa.
    Essa frase fora de contexto pode parecer absurda, mas se vc olhar o artigo em:
    ****** ******

    Verá q faz algum sentido.
    A frase que vc destacou, quando reproduzida na ítergra, não me soa tão absurda assim:
    “Não existe nenhuma prova CIENTÍFICA de que vacinas protejam contra coisa alguma. O que existe é muita manipulação de estatísticas em relação a isso, e meio século de propaganda intensiva de uma indústria que fatura bilhões, e que investiu muito para implantar este medo que temos de não vacinar. E essa indústria foi extremamente bem sucedida em nos fazer acreditar que se vacinarmos, protegemos contra as doenças.”

    Vc não acha q faz sentido?
    Vc se vacionou contra rubéola na recente campanha?
    Não achou estranho isso tudo?

    Um abraço
    Gabriel

  5. Pedro F. disse:

    Cara, a frase em questão é um absurdo em si. Nenhum contexto vai salvar uma generalização grosseira como essa.

    Eu sei que existe uma tensão entre ciência e mercado, isso é óbvio. Mas não permite que afirmemos absurdos como esses.

    Eu achei estranho esse VacinaVeritas. Acho que você está perdendo tempo lendo lixo e se preocupando com críticas rasteiras, aparentes e superficiais.

    PS. Achei hilário o comentário anti-aborto que você colou aí no meio.
    PS2. Vai ler algo que preste, porque a vida é curta e os textos são longos.
    PS3 Não falarei mais nada sobre esse assunto, vou ler Humberto Eco.

  6. Pedro F. disse:

    “Ele defende o aborto declarando que é uma questão de saúde pública. Pois bem: quem confunde feto com doença não sabe o que é doença.”

    hahahahahahaha

    Isso é uma piada, certo?

  7. Anônimo disse:

    vacinei na última campanha de rubéola em 2001 e hoje estou grávida de 14 semanas e foi constatado igm reagente para rubéola. Não entendi!!! meu filho corre riscos? uma vez que os comentários falam da ineficácia em proteger os indivíduos de qualquer vírus!!!!!

  8. viviane inacio disse:

    gostaria de saber o que acontecem com as mulheres que engravidam apos tomarem a vacina

  9. Gabriel Dread disse:

    Viviane:
    Gestantes não devem ser vacinadas
    Esclareça as gestantes de sua microárea sobre essa restrição.
    As mulheres que engravidarem até 30 dias depois de tomarem a vacina, e também aquelas receberam a vacina sem saber que estavam grávidas devem ser acompanhadas com toda a atenção.
    Se você identificou alguma mulher nessa situação, fale imediatamente com seu instrutor-supervisor ou com a equipe de saúde a qual você está vinculado, para receber orientação sobre o que fazer.”
    Fonte: Campanha Nacional de Vacinação Contra a rubéola
    Por que não se recomenda vacinar as mulheres grávidas durante a campanha contra a rubéola?
    Embora já esteja demonstrado que a vacina não tem efeitos teratogênicos no feto, durante uma gestação podem apresentar – se diversos eventos (abortos, natimortos, etc.) que são apenas coincidentes com a vacinação. Por isso é importante fazer o acompanhamento de cada gestante vacinada inadvertidamente para evitar que seja atribuída à vacina qualquer evento que aconteça com esta gestante. “
    Fonte: Um Metrossexual: a revista online do homem moderno (Sic!)

  10. Anônimo disse:

    Eu gostaria de ler a tréplica da dra Jessica..
    Pelo jeito ela nao apareceu mais.

    Realmente essa campanha é muito estranha. Eu fui vacinada sem saber, mesmo ja tendo a doença. Como eu era ignorante naquela época.

    Sempre me falaram que eu estaria imune por toda a vida, mas nao explicaram porque MESMO ASSIM me vacinaram!!

    Brasil livre de rubeola? Se todas as crianças pegassem rubeola na infancia, isso nao seria um problema para quando as meninas se tornassem adultas e ficassem gravidas.
    No entanto, o interesse da industria farmaceutica se sobrepoe a qualquer tipo de racionalidade que questiona o efeito "rebanho" da massa populacional ignorante. Termo esse bem utilizado para explicar a eficacia de vacinas, a proposito..

  11. Anônimo disse:

    AMIGO VOCE ESTA VIAJANDO,SOU ENFERMEIRA DE PSF , E ACHO QJE VOCE ESTA INFLUENCIANDO AS PESSOAS DE FORMA NEGATIVA, NAO EXISTE CONSPIRAÇAO NENHUMA, NAO ESTAMOS NUM FILME DO SPPILBERG, É SO UMA CAMPANHA DE VACINACAO COMO MUITAS QUE DEVERIAM EXISTIR, AS PESSOAS DESTE ´PAIS NAO TERIAM CONDIÇOES DE DAR A SEUS FILHOS , ESTAS MESMAS VACINAS EM CLINICAS PARTICULARES, POIS SAO MUITO CARAS, NAOE EXISTE NINGUEM INTERESSADO NO CONTROLE DE NATALIDADE DO POVO BRASILEIRO, NEM MESMO O PROPRIO POVO, PODEMOS OBSERVAR FAMILIAS NUMEROSAS QUE OFERECEM A CRIANÇAS INOCENTES CONDICOES DE SUBSISTENCIA MISERAVEL, AS CAMPANHAD DE VACINACAO AINDA SAO UMA DAS POUCAS COISAS FEITAS COM DINHEIRO PUBLICO QUE AINDA FUNCIONAM NESTE PAIS. POR ISSO NAO VIAJE . TCHAU

  12. Anônimo disse:

    Eu tive uma reação com a vacina da Rubéola, me tornei mais uma pessoa com doença auto-imune nestas estatísticas que só aumentam. Após descobrir isso, passei a estudar sobre vacinas, a partir de artigos científicos nacionais e internacionais. E minha conclusão foi que pouco se fala nas reações das vacinas, só querem imunizar mas não se divulga sobre os riscos. Em algumas pessoas, com determinadas características, há risco de morte por exemplo. Em outras, a vacina não diferença. Este é o problema, o risco de dar M é alto. Antes da vacina eu era uma pessoa saudável, nem resfriado pegava. Após a vacina da rubéola, além de passar rubéola, tive um episódio de artrite reumatóide muito grave no corpo inteiro. Adquiri 2 doenças auto-imunes e me tornei uma pessoa fraca. Tem um artigo da Revista de Reumatologia muito explicativo, onde há o trecho: "Existem relatos de várias dessas doenças
    que se iniciaram após o uso de vacinas. A vacinação pode,
    portanto, ter efeitos auto-imunes e pode mesmo deflagrar
    uma doença auto-imune, embora isso seja raro(6).
    Algumas vacinas, especialmente a vacina contra rubéola,
    podem causar uma artrite que pode durar várias semanas
    e desaparecer espontaneamente. Vacinação contra o vírus
    da influenza pode raramente induzir à doença neurológica,
    como a síndrome de Guillain-Barré."
    LINK DO TEXTO COMPLETO: http://www.scielo.br/pdf/rbr/v47n2/05.pdf
    Como se não bastasse isso tudo que descobri, não em sites anti-vacinas, mas em artigos médicos; peçam a qualquer biomédico ou profissional da área se faz vacinas? Eles não fazer vacinas. Por que será? Os riscos são muito piores do que a própria doenças muitas vezes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assinar por email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações na sua caixa de entrada.

 

Irradiando Luz é sustentado por seus leitores

Doe Irradiando Luz
Ajude a manter o Irradiando Luz.

Com apenas R$ 1, você já pode apoiar o nosso portal a continuar existindo e espalhando boas notícias e dicas práticas sobre ecovilas e a transição pessoal e global.

Categorias

Arquivo do Blog